quinta-feira, 8 de julho de 2010


Vai diminuindo a cidade, vai aumentando a simpatia. Quanto menor a casinha, mais sincero o bom dia. (Pato Fu)



Acordo com o bule de esmalte apitando no fogão. Sono fácil e goiabada cascão, hora de começar mais um dia. Maior é a alegria nascida na terra brotada. Mais alegre ainda é a passarada que nas nuvens cirandeia. O sangue que corre nessa veia é a água que saúda a plantação. Dói e amarga o coração quando o homem desmembra e sair voar pela selva de pedra.
Borda um tapete a filha e a mãe um pano de prato. O pai à Deus é grato pela farta colheita. Com a vida sastifeita, a vó reza o terço sempre às três.
A Roça Vida se cansa ao fim do dia. Sonolenta e doída, a alegria boceja. Um pedaço do bolo de fubá, ao fim do dia, é o que se deseja. Pés sujos na bacia de lata. Enquanto canta o luar lá fora, o lampião tira um cochilo e o silêncio faz a festa.
Sinfonia boa é a da floresta que permeia o sítio cercado. Lá fora, um vento suspeito, frio, meio amargurado.
Acordo com o bule de esmalte que apita novamente no fogão. Mais um dia pela frente, sono doce, goiabada cascão.












G’ Stresser.

4 comentários:

  1. Adoro dormir, adoro acordar bem :)

    ResponderExcluir
  2. É porque dormir é fundamental pra sonhar e viver bem! E tem gente que ainda não gosta disso, acha que é perder tempo! =( Lindo texto! Linda cena! Me senti num sitiozinho cheio de aconchego.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Eiz! Essa é realmente a intenção, fazer com que o meu "sítio" viaje pela imaginação do leitor.

    ResponderExcluir

liberdades saborosas