sexta-feira, 13 de julho de 2012

Crua



Sou emergência
E o calor das coisas 
me queima

Rainha
Plebeia
Doce messalina

Sem miras
Brotam delícias
e perigos
valem a pena

Tudo acontece
tudo é perene
se ninguém olha
tudo incendeia.




Guto Stresser






Quem é você quando ninguém está olhando?

2 comentários:

  1. Primeiro poema da corrente.
    Amei.

    Tá lindo, lindo.
    Parabéns, Guto. E obrigado por participar.

    ResponderExcluir
  2. Lirismo puro. Seus poemas são lindos!

    ResponderExcluir

liberdades saborosas